Vai bombar em seu celular [2]: Tinashe e Ella Henderson

Finalmente vou cumprir uma de minhas promessas mais repetidas desde que iniciei este blog, há um ano: falar da Tinashe!

Mas essa linda não vem sozinha em mais um “Vai bombar em seu celular” – a seção que eu criei no blog para falar daqueles artistas que estão aí, rondando o mundo pop, seja com álbuns ou featurings, mas se ainda não receberam aquele empurrãozinho para aparecerem, falta isso aqui para que o mainstream o abrace de uma vez. Além da nova princesa do R&B, hoje também vamos falar de uma power vocalist vinda da terra da rainha, em mais uma invasão britânica: Ella Henderson.

Tinashe1. Tinashe

Tinashe Jørgensen Kachingwe tem 22 anos e quem já acompanha a popsfera deve ter pirado quando a moça, ano passado, lançou uma faixa cheia de swag e balanço, “2 On”. A música não chegou ao primeiro lugar das paradas – tampouco um top 10 no Hot 100 (o peak foi de #24, mas nos charts de R&B/hip hop a música chegou à quinta posição), o que colocou os olhos de parte do público e da crítica para o trabalho da moça, que já tinha participado de uma girl band na adolescência, The Stunners, e tinha lançado duas mixtapes antes do álbum debut, “Aquarius”, lançado em Outubro de 2014 com resenhas bem elogiosas de publicações respeitadas como a Pitchfork e a NME.

O álbum, “Aquarius”, é um achado. Com uma ambientação bem especial e uma identidade fortíssima para um debut de uma artista nova, tem toda uma atmosfera sensual, com letras bem diretas e uma musicalidade que remete à Janet Jackson, uma voz doce e aveludada que oscila entre uma Ciara com mais potência e uma imagem visual que me lembra muito a Aaliyah.

Apesar do álbum excelente e das boas escolhas para singles, Tinashe é mais conhecida do público consumidor de urban e dos ouvintes de pop que curtiram “2 On” e foram atrás da moça depois. Eu até pensei que com o remix de “Jealous”, do Nick Jonas, que conta com vocais dela, que seria um grande estouro, mas acho que o caminho para o sucesso da Tinashe está em mesclar a qualidade do material que ela apresentou em “Aquarius” com faixas igualmente interessantes para serem singles e que possam colocar o nome dela na boca do grande público. Por que se com uma música só teve burburinho em relação à moça (que chegou a se apresentar no BET Awards ano passado), imagine se a faixa for lançada em pleno verão, com uma batida viciante e um clipe que possa viralizar?

 

Ella Henderson2. Ella Henderson

A outra moça que merece a sua atenção é uma jovem de 19 anos vinda da Inglaterra. Gabriella Michelle Henderson, ou Ella Henderson, participou da edição de 2012 do X-Factor britânico, mas não chegou a vencer o reality show. Dois anos depois, a moça retorna com o debut, “Chapter One”, estreando em primeiro lugar no chart da Grã-Bretanha e colocando o lead-single em primeiro lugar por lá.

Aliás, “Ghost” – co-escrita por Ryan Tedder, o rei das obviedades – não difere muito em estilo de outros trabalhos do líder do OneRepublic, mas tem uma letra forte e uma batida empolgante, bem adequada para a voz poderosa, mesmo jovem ainda, da britânica. O que é legal na voz da Ella é que ela não chega com um vocal parecido com A ou B, tem uma identidade muito própria – não tão madura, mas também não tão juvenil.

“Ghost” ainda apareceu nos charts americanos, chegando até a 21ª posição na Billboard (e com subidas surpreendentes no iTunes); enquanto os singles seguintes “Glow”, a lindíssima “Yours” e “Mirror Man” não chartearam nos Estados Unidos, enquanto tiveram bons desempenhos na terra natal da moça. É claro que mesmo com todo o praise, quem acompanha o pop britânico sabe que do mesmo jeito que eles elevam os artistas novos ao céu, também podem colocar lá embaixo com um segundo trabalho que não seja satisfatório; mesmo assim, é sempre bom ouvir um álbum de pop puro, de produção simples, que tem pegada Adult Contemporary e é muito gostosinho de escutar – justamente aquele CD que, durante a audição, você vai gostando, se apegando, se identificando com alguma letra e quando vê, já está apaixonado.

Vale a pena torcer por essa moça.


E você, já conhecia o trabalho das duas? Deixe sua opinião sobre Tinashe e Ella nos comentários!

Vai bombar no seu celular [1] Charli XCX e Sam Smith

Quando você pensa no que bombou na música pop em 2014, você já lembra logo do Pharrell Williams e sua onipresente “Happy”, que rompeu o ano com sucesso; “Dark Horse” mostrando o poder de hitmaker de Katy Perry; e o estouro de Iggy Azalea e “Fancy”. Mas tem alguns nomes rodando na popsfera já mostrando seu trabalho – mas não com a massificação dos nomes aí de cima – que podem se tornar conhecidos worldwide  – mesmo que eles já tenham um caminho consolidado em outros mercados, ou estejam ainda construindo sua história na música.

Pensando nestes nomes que a gente sempre fala “ah que música legal” mas não sabemos bem seus nomes, criei o “Vai bombar no seu celular”, uma seção do blog que falará daqueles artistas pop com certo reconhecimento, mas que faltava um empurrãozinho no chart digital ou aquele featuring bacana pra realmente se tornarem conhecidos do grande público.

 

1. Charli XCX

Charli XCXA inglesa Charlotte Emma Aitchison aka Charli XCX é uma cantora e compositora de 22 anos que já é conhecida por quem curte música pop. Já tem dois álbuns lançados e algumas músicas que fizeram certo barulho com o público, mas nunca alcançaram de fato grande sucesso. A primeira vez que o nome dela ficou mais na boca do povo foi com o hit “I Love It”, da dupla sueca Icona Pop, um top 10 da Billboard em 2013 (sétimo lugar) e em primeiro nos charts ingleses no mesmo ano. Charli escreveu a canção e está creditada também como featuring.

Já a segunda vez em que a inglesa deu as caras nos charts de forma massiva foi com “Fancy”, o hit do verão americano da rapper Iggy Azalea, onde Charli XCX canta o refrão mais repetido nas rádios. A música chegou à primeira posição no Hot 100, e deu esse top para as duas artistas, colocando os olhos do grande público sobre a jovem cantora-compositora, que agora começa a desfrutar do sucesso com a faixa “Boom Clap”, parte da trilha sonora do filme “A Culpa é das Estrelas”.

A faixa tem uma pegada synth 80’s bem bacana, principalmente com a voz da Charli que alterna entre a leve rouquidão nos tons mais baixos e o refrão animadinho a la Madonna no início da carreira. Aliás, o refrão é bem catchy, e aliado a uma trilha sonora de um filme de sucesso, fato que a música tem grandes chances de bombar.

Charli XCX já está trabalhando no novo álbum, e a depender da continuidade da boa recepção que anda tendo, podemos esperar outra britânica de sucesso nos charts americanos – e no seu celular também.

 

2. Sam Smith

Também vindo diretamente da terra da Rainha, Sam Smith já tem lá na Inglaterra dois prêmios importantes: a Escolha dos Críticos Sam Smithdo BRIT e o BBC Sound of 2014. Apareceu nas rádios fazendo featuring na canção “Latch”, do Disclosure, e ainda em 2013 chegou à primeira posição no UK Charts sendo artista convidado na canção “La La La”, do Naughty Boy. Agora, com o primeiro CD já lançado, “In The Lonely Hour”, e três singles já lançados, é hora de Smith alçar voos mais altos no outro lado do Atlântico – e o grande público está abraçando alegremente a terceira música lançada pelo cantor-compositor: “Stay With Me”.

A balada soul é pungente e elegante, com esse coral gospel pontuando o refrão. A voz de Smith é maravilhosa, impecável, mais um caso do branco-com-voz-de-negro que parece brotar da terra na Grã-Bretanha (oi Amy, olá Adele) cantando uma música facilmente relatável com o grande público. Música que consegue unir qualidade e apelo comercial, está fazendo um grande sucesso nas rádios e está em quarto lugar no chart digital nos EUA, pode colocar Smith em outros patamares, já que com boas críticas, pode dar as caras no ano que vem numa certa premiação que dá um gramofone dourado aos vencedores…

Já conhecia os dois? Ainda não? Se conhecia, gostou do material que está levando Charlie e Sam ao sucesso? Deixe sua resposta nos comentários!