Previsão Video Music Awards 2015 [4] Melhor Vídeo Pop

Falta menos de uma semana para o grande dia! Só fazendo essas previsões para me empolgar, porque até agora, a MTV parece ter esquecido que precisa enviar à imprensa a lista de performers (por enquanto tem The Weeknd, Nicki Minaj e as ex-participantes do RuPaul’s Drag Race com a Miley Cyrus no palco principal e Nick Jonas e o Walk the Moon no pré-show), e o buzz da premiação parece estar vindo apenas das promos da Miley, host da edição 2015.

Mas enquanto a emissora ainda não negocia as apresentações desejadas, vamos continuar com a análise dos vídeos indicados ao VMA 2015 – desta vez, a categoria é a de Melhor Vídeo Pop, onde a batalha dos charts chegou aos vídeos.

Primeiro, os indicados…

BEST POP VIDEO
Beyoncé – “7/11”
Ed Sheeran – “Thinking Out Loud”
Taylor Swift – “Blank Space”
Mark Ronson ft. Bruno Mars – “Uptown Funk”
Maroon 5 – “Sugar”

E agora, a análise!

Continuar lendo

JoJo em dose tripla com o Tringle

Joanna Levesque foi uma das primeiras artistas de quem eu realmente gostei, de verdade, e a primeira cantora pop cuja carreira comecei a acompanhar.  Tinha a mesma idade que ela na época (comecei a acompanhar no fim da era do primeiro CD self-titled – lembro até mesmo de alguém recomendando o som dela no falecido Orkut, aí fui caçar e ouvi tudo), então me sentia identificada – ela também fazia o gênero de música que eu curtia, tinha um jeitão normal, e uma voz poderosa para alguém tão nova. Fazia esforço pra baixar os álbuns, acompanhar lançamento de singles, torcer pra que conseguisse indicação ao Grammy…

Mas ser fã de JoJo não é igual a ser fã de outros artistas. A carreira da menina prodígio do R&B, que com 14 anos já tinha um hit marcante, “Leave (Get Out)” e aos 16 possuía outro hit crossover com “Too Little Too Late”, foi boicotada pela própria gravadora, Blackground Records, que impediu o lançamento de outros singles futuros, álbuns inteiros, e até mesmo quando JoJo conseguiu uma forma de lançar “Disaster”, single do defunto “Jumping Trains” (que seria o terceiro álbum, cujo nome antes era “All I Want Is Everything”), o lançamento não foi pra frente ainda por questões judiciais com a gravadora, que simplesmente impedia que ela lançasse qualquer material.

Uma história que durou quase uma década, e nesse período, JoJo construiu uma reputação com uma base de fãs independentes e outros fiéis, que ainda esperavam um lançamento mainstream para mostrar que aquela garota talentosa de 2004-2006 ainda era relevante e faria barulho hoje em dia. Essa reputação foi construída através de mixtapes elogiadas como “Can’t Take That Away From Me” e “Agape” (bem mais experimental que a primeira), animando muita gente a respeito do que a JoJo ia trazer de material se estivesse numa grande gravadora.

E no ano passado, finalmente a longa jornada de Joanna Levesque teve fim. Finalmente liberada do contrato com a Blackground após um acordo entre as duas partes, ela assinou um contrato com a Atlantic Records, e passou todo o tempo gravando e compondo para enfim lançar o terceiro álbum. JoJo ainda lançou outra mixtape, #LoveJo, com covers famosos, até como aperitivo para o que viria a seguir.

E veio. No formato de TRINGLE.

Continuar lendo

Previsão Video Music Awards 2015 [3] Melhor Vídeo de Rock

O rock foi um dos gêneros que mais sofreu com as atuais mudanças na música mainstream. Sempre entre os estilos mais ouvidos – e fortalecidos – pelo consumo nas rádios e a forte fã-base, atualmente está restrito a um nicho, pela própria ascendência e dominação do pop sobre todos os outros gêneros, que “popficou” tudo pela frente, até mesmo despersonalizando gêneros (veja o que o R&B vem sofrendo até hoje). O rock se fechou para não correr muito esse risco, e mesmo assim, pelo grande público não compreender exatamente o que é o rock e suas vertentes (e por muitos consumidores específicos focarem exatamente em tipos específicos – e mais tradicionais – e deixarem de lado possíveis “experimentações” dentro do rock), até mesmo jurados e bancadas de award penam para determinarem o que é exatamente rock ‘n roll.

O fato é que – entra ano, sai ano, entra modinha e sai modinha, a categoria de Melhor Vídeo de Rock sempre está no VMA marcando presença, mesmo que os indicados não sejam os preferidos do público, e mesmo que um dos concorrentes seja com um vídeo lançado há dois anos (!), o que mostra bem o quanto a bancada está “inteirada”. Mas é o que temos… Pelo menos a lista deste ano mostra alguns nomes que fizeram certo barulho e não deixaram o gênero sumir em 2014-15.

Primeiro os indicados:

BEST ROCK VIDEO
Hozier – “Take Me To Church”
Fall Out Boy – “Uma Thurman”
Florence + the Machine – “Ship To Wreck”
Walk the Moon – “Shut Up and Dance”
Arctic Monkeys – “Why’d You Only Call Me When You’re High?”

Agora a análise!

Continuar lendo

Design de um top 10 [22] Can’t Feel My #1

Banner-Design-de-um-Top-10

E ele conseguiu, finalmente! Após bater na trave com “Earned It” e um pouco antes, como featuring em “Love Me Harder”, da Ariana Grande, The Weeknd alcança a primeira posição com o hit “Can’t Feel My Face”, destronando OMI e sua “Cheerleader” após quatro semanas no topo do Hot 100.

Talvez seja o melhor momento da carreira do canadense, já conhecido pelo R&B alternativo, sensual e obscuro, mas que agora com um material mais pop – no entanto, sem perder suas características – parece ter se tornado o mais novo queridinho das rádios.

Além de The Weeknd, a semana também foi do lançamento mais surpreendente dos últimos meses. O One Direction lançou assim, como quem não quer nada, o novo single do primeiro álbum sem Zayn Malik na formação original. “Drag Me Down” acabou tomando o iTunes de assalto e levou o (agora) quarteto britânico a um merecido terceiro lugar em sua estreia. Será o peak dos rapazes ou eles vão superar as suas estreias explosivas mas sem estabilidade?

Top 10 Billboard Hot 100 (22/08/2015)

#1 Can’t Feel My Face – The Weeknd

#2 Cheerleader – OMI

#3 Drag Me Down – One Direction

#4 Watch Me – Silentó

#5 Lean On – Major Lazer and DJ Snake feat MO

#6 Bad Blood – Taylor Swift feat. Kendrick Lamar

#7 Fight Song – Rachel Platten

#8 See You Again – Wiz Khalifa feat. Charlie Puth

#9 Trap Queen – Fetty Wap

#10 My Way – Fetty Wap feat Monty

The WeekndEra só questão de tempo para “Can’t Feel My Face” chegar ao primeiro lugar na Billboard. A música já liderava as rádios, de acordo com o Mediabase, alcançou a quarta posição no chart de Streaming, estava em primeiro lugar no iTunes –  até a subida meteórica do One Direction, que não chegou a impedir a consagração do The Weeknd. Apesar da gravadora ter feito caquinha ao tirar por algum tempo a versão single da música, tentando forçar os consumidores a comprar a versão do álbum da faixa, isso não foi suficiente para coroar uma trajetória apenas crescente do canadense neste ano de 2015.

“Can’t Feel My Face”, um hipnótico pop com inspiração oitentista, meio funkeado, meio Michael Jackson, e seguramente uma das melhores músicas do ano, é apenas a quinta música a chegar na primeira posição em 2015, de acordo com a Billboard (vamos lembrar das amiguinhas “Uptown Funk”, “See You Again”, “Bad Blood” e “Cheerleader”?). Grupo pequeno, mas cheio de histórias. E ao que tudo indica, acredito que a música pode ficar bem mais que uma semana na primeira posição. O clipe não tem muito tempo que foi lançado, The Weeknd já está entre os performers que vão se apresentar no VMA e o CD “Beauty Behind the Madness” será lançado dia 28. Ou seja, o hype está altíssimo.

(aliás, “The Hills”, o outro single do álbum, que teve peak de #10, está em décimo primeiro. Se bobear ainda tem força pra retornar ao top 10).

Comemore com Abel Tesfaye o seu primeiro #1 com a perigosíssima “Can’t Feel My Face”

Já o One Direction pra mim foi uma surpresa – uma daquelas surpresas boas ao mesmo tempo que chocantes. Quem One Directionimaginaria que a banda ainda teria essa força de colocar uma música numa posição tão alta, após a saída ainda sem muitas explicações de um membro do grupo? Evidentemente, o primeiro single do novo trabalho dos rapazes já viria com todas as expectativas possíveis (o que eles fariam? como seria o som? sentiriam falta do Zayn?), mas nada tão bacana e gostosinho de ouvir – além de viciante, como “Drag Me Down”. A música tem uma pegada meio The Police, uma letra simples, mas o refrão é matador, e mostra um grupo bem maduro. A pergunta é: será que o One Direction vai conseguir crescer para além da fã-base juvenil e pegar um público realmente crossover? “Drag Me Down” pode ser a música certa para isso.

A estreia em terceiro lugar se deve, em sua maior parte, aos 350 mil downloads digitais que levaram a música ao primeiro lugar no iTunes. Além disso, a faixa estreou em 12º no chart de Streaming – sem um vídeo para acompanhar a música – sem contar com uma boa apresentação do OD no Good Morning America e a possibilidade dos britânicos performarem no VMA. Eu não sei como será o pós, mas de acordo com a queda até estável da faixa no iTunes após o topo inicial, acho que a música pode ter uma sobrevida bem interessante (mas nada disso pode ser possível se as rádios não apoiarem a música. Pela vibe de “Drag Me Down”, um pouco menos infantilizada e com um apelo geral, acho que a faixa tem potencial).

E você, ainda não ouviu a música do One Direction? Dê play e fique com ela na cabeça você também! (coloquei a versão ao vivo do GMA porque eles não tem nem o áudio da música no Vevo oficial da banda – mas no Spotify você acha 😉 )

O que achou dos movimentos nos charts desta semana?

Previsão Video Music Awards 2015 [2] Melhor Vídeo de Hip Hop

Continuando a análise dos vídeos indicados ao Video Music Awards 2015 – nas categorias com votação do público – temos uma categoria com ótimos vídeos, Melhor Vídeo de Hip Hop. Provando que esse período de 2014/2015 foi um ótimo momento para o gênero, com o surgimento de novos artistas, consolidação de uma turma que já tinha aparecido há um bom tempo; além da consagração de Kendrick Lamar como a voz do nosso tempo, a disputa pelo Moonman será bem interessante.

No entanto, apesar de muitos trabalhos bem bacanas e até históricos, acho que o favorito será o trabalho mais “pop” e bem sucedido nos charts entre os cinco indicados.

BEST HIP HOP VIDEO
Fetty Wap – “Trap Queen”
Nicki Minaj – “Anaconda”
Kendrick Lamar – “Alright”
Wiz Khalifa ft. Charlie Puth – “See You Again”
Big Sean ft. E-40 – “IDFWU”

Confira a análise após o pulo!

Continuar lendo

Previsão Video Music Awards 2015 [1] Melhor Colaboração

30 de Agosto é daqui a pouco, e uma certeza nós temos: é a de que o Video Music Awards 2015 promete, após surpresas entre os indicados e as tretas via twitter (que já foram resolvidas até o momento).

Este ano, as indicações são bacanas porque todos os vídeos são muito bons, cada um com sua característica especial, e em algumas categorias, qualquer um dos indicados merece a vitória. Em “Melhor Colaboração”, a disputa é entre hits massivos, alguns que quase fizeram história e outros que marcaram sentimentalmente os nossos corações. Por isso, essa categoria vai depender muito mais da MTV fazendo o voto de Minerva do que os fãs votando loucamente no site da emissora.

(porque você sabe, né, pode votar horrores, mas quem apita no final é a MTV)

Primeiro, os indicados

BEST COLLABORATION
Taylor Swift ft. Kendrick Lamar – “Bad Blood”
Mark Ronson ft. Bruno Mars – “Uptown Funk”
Wiz Khalifa ft. Charlie Puth – “See You Again”
Ariana Grande & The Weeknd – “Love Me Harder”
Jessie J, Ariana Grande, Nicki Minaj – “Bang Bang”

As análises seguem após o pulo!

Continuar lendo